DIRIGIDO POR JOHNNY ARAÚJO E GUSTAVO BONAFÉ, FILME MERGULHA NA HISTÓRIA DE AMOR DE GRANDES AMIGOS QUE CONSTRUÍRAM O LEGADO DE UMA DAS MAIS CONSAGRADAS BANDAS DE RAP DO BRASIL. – Foto:Dan Behr – Imagem Filmes

“Tem muita coisa errada, temos que reclamar”. Foi assim, com canções de denúncia social e resistência, que os amigos Skunk e Marcelo – atualmente conhecido como Marcelo D2 – deram os primeiros passos com a banda Planet Hemp. A relação de ambos é tema de “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”, que estreia nos cinemas no dia 18 de outubro. Skunk, interpretado por Ícaro Silva, é um artista que sonha em ganhar a vida com o seu talento, enquanto, Marcelo, vivido por Renato Góes, trabalha como camelô e não reconhece o potencial que tem como compositor e cantor.

A cinebiografia conquistou o prêmio de Melhor Ficção Nacional Segundo o Público na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e também Melhor Longa-metragem pelo Júri Popular e Melhor Roteiro no 12º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, além de ter participado do Festival do Rio de 2017. Dirigido por Johnny Araújo e Gustavo Bonafé, com roteiro de Felipe Braga, o drama tem produção da Academia de Filmes, distribuição da RioFilme e Imagem Filmes e coprodução do Telecine e da RioFilme.

O cantor Marcelo D2 participou de perto desde o início do projeto, que durou nove anos, assina o argumento do filme junto do do diretor Johnny Araújo e é um dos responsáveis pela trilha sonora.

– O filme ‘Legalize Já’ não é só sobre maconha. É uma história de amor. É um grito de liberdade. Um pé na porta. É reconhecer que você tem o seu espaço no mundo. O mundo é meu, o mundo é seu. O mundo é de todos nós – declara o rapper.

Para Ícaro Silva, o encontro entre o Skunk e o Marcelo foi um divisor de águas na vida pessoal e profissional do vocalista do Planet Hemp, além de ter um contexto instigante para a juventude no Brasil.

– Fazer esse filme agora, falando do poder do encontro entre jovens e da possibilidade da mudança a partir do encontro, é genial, porque o nosso país vive um momento de desencontro. Poder falar que é muito mais se juntando do que se separando que a gente evolui, vai para a frente, constrói, é essencial – explica o ator Ícaro Silva.

Marcelo D2 complementa dizendo sobre o valor do seu amigo Skunk para ele.

– O Skunk foi um anjo na minha vida. Eu não sei se esse foi o papel dele aqui na Terra, mas ele realmente mudou a minha vida. Me botou em um caminho que eu não ia achar sem ele. Me trouxe para a música. Foi ele quem me incentivou a escrever – finaliza o carioca.

Os diretores Johnny Araújo e Gustavo Bonafé tiveram dificuldade para escolher quem iria interpretar o Marcelo D2, mas quando viram Renato Góes atuando, perceberam que ele era a aposta certa, justamente, pelos dois terem um brilho no olhar. O pernambucano precisou trabalhar para que o seu sotaque não interferisse na composição do personagem.

– Dois fatores que me preocupavam muito eram o corpo e o sotaque. Eu não preciso imitar o Marcelo, eu preciso ir na essência. Se eu assistir ao filme e ver que o meu olho está falando a verdade, eu não vou me importar com o sotaque – revela o ator Renato Góes.

No filme, Renato Góes e Ícaro regravaram e cantam clássicos do Planet Hemp como, “Legalize Já”, “Mantenha o Respeito” e “Phunky Buddha”.

Este filme foi realizado com recursos da SABESP – Programa de Fomento ao Cinema Paulista – e do Programa de Apoio à Cultura – Lei Estadual 12.268/06 – da Secretaria do Estado da Cultura e do Governo do Estado de São Paulo e com o apoio da Ancine – Prêmio Adicional de renda 2008.

Por:Imagem Filmes